terça-feira, 26 de abril de 2011

História da migração polonesa


A Polônia, após ter sido um dos maiores países europeus nos séculos dezesseis e dezessete, foi invadido no século dezoito pelos seus três poderosos vizinhos, Rússia, Áustria e Prússia. Devido a falta de terra para plantar, o grande desemprego e os maus tratos sofridos, os poloneses começaram a emigrar. A parte ocupada pelos Prussianos compreendeu a Pomerânia e a Silésia. Foram destas regiões que partiram os primeiros contingentes imigratórios. 
                                                                                                                    Essa origem gerou muitos equívocos, pois os imigrantes traziam passaporte prussiano, portanto muitos pesquisadores catalogaram-nos como prussianos. Mas na verdade eles eram poloneses, o que se conclui pelos seus sobrenomes, tipicamente polacos:

          Sikorski              Merchel            Danielski      
          Schiglinski         Osowski            Babinski          
          Sztormowski      Kuffel               Bruski
          Lewinski            Habowski         Ostrovski




Enquanto na Polônia faltavam terras no Brasil sobravam espaços perigosamente desocupados. Desde 1808, a ocupação dos chamados vazios demográficos, que ameaçavam o domínio português começa a ser motivada pelos colonizadores, o que atraí imigrantes. Outro motivo que leva o país a atrair europeus é a necessidade de substituir a mão-de-obra escrava, com o encaminhamento para o fim da escravidão e o desejo do governo de realizar o “branqueamento” do  povo brasileiro.
Em 1888 é decretado o término da escravidão no Brasil: 800 mil imigrantes foram lançados ao mercado como mão-de-obra assalariada. A propaganda de estimulo às imigrações era convincente: o Brasil era apresentado como um verdadeiro paraíso. 

Um comentário: